domingo, 15 de setembro de 2013

Documentário: Leed's Castle Segovia Competition 9-13 October 1981

Leed's Castle - Inglaterra.



Em 1981 ocorreu na Inglaterra a 1ª "Segovia Guitar Competition".
Esse documentário sobre o evento me lembra o filme "Enter the Dragon" de Bruce Lee.



:)

Brincadeiras a parte, é um interessante documento de uma outra época do violão.
Muito legal ver alguns interpretes consagrados ainda bem jovens na época, a exemplo do Paul Galbraith.





Let the tournament begin!

[]


Bons Estudos!

JP

Marcin Dylla toca Diabelli (1781-1858)

Um violão quase falante:




Inspirador!


Bons estudos.

[]

JP.

12 Conselhos de Fernando Sor.


Doze máximas gerais que sintetizam as ideias expostas no método para violão de Fernando Sor (1778-1839):

“1.ª– Visar mais ao efeito da música que ao louvor do talento como executante.
 2.ª – Exigir mais da habilidade do que da força.
 3.ª – Economizar pestanas e deslocamentos da mão.
 4.ª – Considerar a digitação como uma arte cujo objetivo é fazer-me encontrar
as notas de que preciso, ao alcance dos dedos que as devem produzir, sem a contínua
necessidade de desvios com o intuito de procurá-las.
 5.ª – Jamais ostentar qualquer dificuldade em minha execução, pois, assim
fazendo, tornaria difícil o que não o é.
 6.ª – Nunca dar trabalho aos dedos mais fracos, enquanto os mais fortes não
fazem nada.
 7.ª – Nunca cair em um erro muito comum, decorrente de um raciocínio acertado no que concerne ao piano, mas muito mal aplicado à guitarra; isto é, não manter o dedo em uma casa por mais tempo do que a duração da nota que deve produzir. Enquanto o dedo pressionar a tecla do piano, as cordas continuarão em vibração, e o som, misturando-se àquele de outra tecla, produzirá efeito contrário à pureza da execução; mas se duas ou três notas consecutivas são feitas na mesma corda da guitarra, se a progressão é ascendente, a segunda abafa e termina o som da primeira, e a terceira, o da segunda. Se, ao deixar cair o dedo que produz a segunda, ao mesmo tempo eu levantar o dedo que produziu a primeira, faço duas ações ao invés de uma, e ainda corro o risco de levantar o dedo um momento antes, fazendo a corda solta soar, o que, ao contrário de tornar minha execução mais pura, daria a ela menos pureza. Se as notas são descendentes, ao invés de esperar pelo momento em que a nota deve ser produzida para pressionar a corda, eu já tiver o dedo sobre ela, não terei outra ação a fazer a não ser a de levantar o dedo da nota mais aguda.
 8.ª – Evitar um movimento lateral que alguns guitarristas consideram gracioso, isto é, deixar a direção paralela entre a linha formada pela ponta dos dedos e a das cordas. Por exemplo, nas notas sucessivas (na primeira corda), sol, fá sustenido, mi, ré (na segunda corda), ao fazer o eles têm a ponta dos dedos em excelente direção; mas, quando o quarto dedo deixa o , ele sai da escala, e o sol a deixa por sua vez; e quando o dedo um fica sozinho no fá sustenido, a linha da ponta dos dedos faz com a escala um ângulo de 45º; ou toda a mão é conduzida para trás do braço da guitarra, porque obrigaram o pulso a fazer aquilo que, se os dedos fizessem, facilitaria ao segundo [dedo] fazer o na segunda corda, sem que o pulso fosse obrigado a fazer um movimento para recolocar a mão diante do braço da guitarra, a menos que o fosse produzido horizontalmente com o dedo, o que requer muito mais força, e eu não saberia fazer sem pressionar também o sol na primeira corda, quando, talvez, eu precisasse dela imediatamente como uma corda solta, e eu seria mais uma vez obrigado a fazer um movimento para deixá-la livre. Quando minha mão se encontra em uma posição, e a passagem não é de harmonia, eu posiciono o pulso de forma que a linha reta, do primeiro ao quarto dedo, seja paralela à corda: mantenho o pulso imóvel, e conservo meus dedos sobre o lugar onde se devem movimentar. 
9.ª – Quando se trata de uma grande distância na largura da escala, e o dedo quarto prende uma das extremidades, tomar a outra extremidade com o dedo mais longo.
10.ª – Quando se trata de uma abertura, consultar a posição menos incômoda para o dedo mais fraco, e impor a tarefa ao mais forte.
11.ª – Quando é necessário dar à linha da extremidade dos dedos uma posição paralela aos trastes, ao invés de às cordas, fazer com que esta mudança dependa antes do cotovelo que do movimento do pulso.
                                                  12.ª e última. – Dar muito valor ao raciocínio e nenhum à rotina.”

Tr: Guilherme de Camargo.


Valiosos conselhos. Espero que sejam úteis.
Bons Estudos!

[]

JP

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Guitar Recital: Sabrina Vlaskalic.

Olá!

Gostaria de compartilhar o vídeo deste recital aqui no blog.
O programa é muito interessante e a violonista é surpreendente.

Sabrina Vlaskalic começa seu recital com uma peça pouco conhecida de Antonio Cano (1811-1897) chamada El Delirio.

Em seguida temos Brouwer, Bogdanovic e uma peça de autoria da violonista no final.


terça-feira, 11 de junho de 2013

Beethoven e Sor: pequeno exercício de comparação.




















Olá,

este post é um exercício de comparação.

Vou colocar 4 links e vocês comparam.
São 3 videos e um programa de radio.


1)
O primeiro é de um programa de radio sobre musica espanhola.
O programa esta no site PRX. Tem que fazer um registro la pra poder escutar todo ... mas vale a pena.

Agora, olha só o nome do programa:
THE SPANISH HOUR: FERNANDO SOR, BEETHOVEN OF THE GUITAR

aqui vai o link: http://www.prx.org/pieces/86834-the-spanish-hour-fernando-sor-beethoven-of-the-g


2)
O segundo link nos leva a ouvir Beethoven.
Prestem bem atenção nesta obra, principalmente aos 1:44 do video.

BEETHOVEN
SERENATA EM RÉ MAIOR, OP. 25. IV - ANDANTE CON VARIAZONI.
Susan Milan, Flute. Levon Chilingirian, Violin. Ian Brown, Piano.








agora vamos ouvir o segundo movimento da Sonata "Patética" para piano.

Sonata No 8 em Dó menor, op. 13 - 2o mov. Adagio Cantabile
ao piano: Daniel Baremboim




3)
Agora, para concluir nosso pequeno exercício de comparação e contextualização vamos ouvir Sor novamente.

Prestem atenção na semelhança entre os estilos, escolhas de ritmo e intervalos.
Ouçam bem o primeiro estudo que está neste video e comparem com o trecho que foi sublinhado no 2o link do post.

ao violão: John Williams.





obs: As caricaturas no inicio do post foram encontradas nestes sites:
Beethoven: http://frkmendes.blogspot.com.br/
Sor: http://www.maxinefrost.com/blogengine.net/



Para ser um bom interprete é preciso ser um bom investigador. O objetivo deste post é também o de incitá-los a sair um pouco do âmbito do violão. Ser um bom e curioso ouvinte de música é fundamental para qualquer músico.
Uma vez ouvi o Leo Brouwer dizer em uma palestra que para contextualizar bem Fernando Sor os estudantes deveriam escutar Beethoven, principalmente a musica de câmara deste compositor.
Na mosca!



Espero ter ajudado.
Um abraço e bons estudos!


[]

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Jorge Caballero toca Mussorgsky.


Esse vídeo do Caballero é fantástico. Ele toca sua interpretação da transcrição do Kazuhito Yamashita para a famosa obra de Modest Mussorgsky (1839-1881): Quadros de uma Exposição.
Esta transcrição tem como base a versão orquestral de Maurice Ravel (1875-1937).


Uma aula sobre uma peça muito conhecida dos estudantes.




Neste post, um interessante video instrucional do violonista Scott Morris.
São dicas sobre o Estudo 18 do op 241 de Ferdinando Carulli (1770 - 1841).
Para saber mais sobre o compositor: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ferdinando_Carulli









Um Abraço.
Bons Estudos!

Tips for classical guitarists from Master Yoda




"Do or do not ... There is no try"
Master Yoda.

A dica está no livro do Scott Tennant:


O livro é muito bem humorado e com ótimos exercícios técnicos e trechos musicais.
O autor é um grande violonista e Professor. Recomendo!

e pra terminar este post no estilo Jedi:



Ao violão: Rafael Aguirre.


quinta-feira, 30 de maio de 2013

Valeu Boije!






Olá,

estou postando aqui  o link para a Boije's Collection na Musik/Teater Biblioteket da cidade de Estcolmo - Suécia.
Trata-se de uma coleção de partituras de música para violão (entenda-se early classical-romantic guitar) do século XIX. Tudo gratuito, em pdf  e com muita qualidade. Vale muito a Pena.

Existem outros sites onde se pode encontrar o mesmo material, já que é tudo domínio público. Bons exemplos são o a Petrucci Music Library (http://imslp.org/) e a Biblioteca da Dinamarca (http://www.kb.dk/da/index.html).

A diferença da Boije's Collection é que o material é exclusivamente de violão e, o melhor, a qualidade gráfica do escaneamento é ótima.
Aqui está o que consegui saber sobre o cara:
Carl Oscar Boije (1849-1923) foi um funcionário público sueco da área de segurança e era também um violonista amador que adorava colecionar partituras. Essa coleção é fruto desse amor do Boije pela música escrita para o nosso instrumento.

Então, fica aqui registrado nosso muito obrigado ao Boije.
Valeu Boije!
:)

Aqui está o link para a Boije's Collection na Biblioteca de Estocolmo: http://statensmusikverk.se/musikochteaterbiblioteket/?lang=en

Até o proximo post e bons estudos!

[]

domingo, 26 de maio de 2013

Contextualizando Villa-Lobos: algumas indicações.






Olá.

O objetivo deste post é sugerir videos, livros e gravações para o estudante que esteja interessado em tocar obras do grande compositor brasileiro Heitor Villa-Lobos.

Videos

Para conhecer um pouco sobre a vida e a obra do compositor sugiro o documentário produzido pela extinta TV Manchete: Índio de Casaca.


Este é um documentário com quase 2 horas de duração. Prepare a "Pipoca" pois vale muito a pena!

:)

Outros







Livros

Villa-Lobos. Fabio Zanon (coleção Folha Explica).
Aqui está o link: http://livraria.folha.com.br/catalogo/1026796/villa-lobos
O autor nos dá um panorama das obras do compositor. Serve como um ótimo guia para conhecer obras orquestrais e camerísticas de Villa-Lobos, algo que é fundamental para o músico que deseja uma construir uma interpretação mais original e ao mesmo tempo informada.

Heitor Villa-Lobos e o Violão. Humberto Amorim.
Traz muitos detalhes sobre a obra violonística do compositor. Chamou minha atenção o capítulo em que o autor fala sobre a relação entre o violonista uruguaio Abel Carlevaro e Villa-Lobos.
Amorim mantem um blog com criticas literárias sobre o tema Villa-Lobos: http://criticasaolivrohvl.blogspot.com.br/

Gravações

Villa-Lobos: The Complete Solo Guitar Music (Fabio Zanon)
http://www.amazon.com/Villa-Lobos-Complete-Solo-Guitar-Music/dp/B000000FT6/ref=sr_1_1?s=music&ie=UTF8&qid=1369618293&sr=1-1&keywords=heitor+villa-lobos+guitar+zanon
Cantilena de los bosques (Shin-Ichi Fukuda)
https://itunes.apple.com/br/album/cantilena-de-los-bosques/id370542860
Ginastera, Villa-Lobos: Guitar Works (Eduardo Fernandez)
http://www.arkivmusic.com/classical/album.jsp?album_id=146295

Alguns links

The Villa Lobos Magazine: http://villa-lobos.blogspot.com.br/
The Heitor Villa-Lobos WebSite. Muita informação relevante: http://www.villalobos.ca/
Tumbling Villa-Lobos. Curiosidades: http://villa-lobos.tumblr.com/

Espero ter ajudado com estas dicas.
Para finalizar, minha interpretação do Estudo Nº5:



Bons Estudos!

[]

João Paulo Pessoa.





segunda-feira, 25 de março de 2013

Tradução comentada do Método de Fernando Sor.



(Esta imagem foi retirada deste site: http://deirdradoan.blogspot.com.br/)




O músico Guilherme de Camargo está disponibilizando em seu site a sua tese de mestrado:

A GUITARRA DO SÉCULO XIX EM SEUS ASPECTOS 
TÉCNICOS E ESTILÍSTICO-HISTÓRICOS A PARTIR 
DA TRADUÇÃO COMENTADA E ANÁLISE DO 
“MÉTODO PARA GUITARRA” DE FERNANDO SOR

Vale muito a pena baixar e ler.
Para isso basta acessar o site: http://guilhermedecamargo.com/  ,clicar em "Sor" e seguir as instruções para o download. Recomendo também que aproveitem a visita para conhecer o trabalho do músico Guilherme de Camargo.

Um abraço e bons estudos!

[]

quinta-feira, 21 de março de 2013

Indicação de leitura: Violão Ibérico, Carlos Galilea.

Olá amigos,



Comprei recentemente este livro. Uma ótima leitura.
O autor nos mostra uma História do Violão que abraça outros caminhos além do que é mostrado em livros mais tradicionais como o (já esgotado e merecendo outra edição) também importante livro do Professor Norton Dudeque.
Em seu livro Violão Ibérico, Carlos Galilea mostra uma visão mais panorâmica do nosso instrumento, apresentando-o em diversos universos musicais e cronológicos: o texto fala tanto de instrumentos antigos (vihuelas e alaudes), de viola caipira, de Sor e Aguado quanto fala de João Gilberto, Baden Powell ou Rafael Rabelo, ou Paco de Lucia, o Flamenco e mesmo sobre Bob Dylan ou João Bosco.
Recomendo a todos.

O autor mantem paginas no youtube e no facebook:

http://www.youtube.com/user/violaoiberico


http://www.facebook.com/violaoiberico

vale a pena visitar as paginas e comprar o livro.


Um Abraço e bons estudos!


[]