sexta-feira, 30 de julho de 2021

Audição dos alunos de violão erudito (ou violão clássico) do Conservatório Pernambucano de Música (semestre 2021.1)

 Pra quem quiser conferir um pouco do que os nossos alunos vêm trabalhando em seus instrumentos.


:)



[]
JPP


Recital de alunos de violão do Conservatório Pernambucano de Música.

 Pra quem quiser conferir um pouco do que os nossos alunos vêm trabalhando em seus instrumentos.


:)



Bons estudos.
[]

JPP


quarta-feira, 28 de julho de 2021

Suite Bwv 996 de J. S. Bach: exercitando comparar algumas interpretações.

 Olá .... 

essa vai ser mais uma daquelas postagens com sugestões de vídeo e áudio de uma mesma peça pra compararmos.



Já fiz isso em outros posts do blog. Acho que é muito importante para nosso desenvolvimento musical. Normalmente começamos nossa jornada no instrumento com a sensação de que teremos muito trabalho com as mãos e com o treino e adestramento das habilidades motoras de de nosso "mecanismo" técnico diretamente no instrumento ... no entanto, muito de nosso desenvolvimento está ligado na verdade à maneira como ouvimos. A música é extremamente (inter e) multi-discilpinar. Formar-se como um bom músico requer um estudo bastante amplo: conhecimento e habilidade técnica, controle motor, conhecimento teórico, histórico, estético, intuitivo, filosófico, artístico, psicológico, linguístico, cultural e por aí vai .... porém, algo que está intrínseco e obvio, mas que muitas vezes passa desapercebido é nossa habilidade como ouvintes de música. Um músico virtuoso precisa necessariamente ser um ouvinte virtuoso. Esse é infelizmente um aspecto tão óbvio quanto negligenciado em nossa formação geral. Por isso é tão importante desenvolver o hábito de comparar criticamente várias interpretações de uma mesma obra.

No nosso exercício iremos comparar algumas interpretações da Suite Bwv 996 de J. S. Bach, conhecida como a "Suite nº1 para Alaúde". Bem, antes vamos lembrar alguns detalhes importantes: é preciso conhecer um pouco sobre estilo, período histórico e informações específicas. Vou deixar alguns links pra ajudar nisso. Se você não sabe nada sobre música barroca: https://en.wikipedia.org/wiki/Baroque_music e/ou https://www.baroque.org/baroque ... Se você nunca ouviu falar de J. S. Bach (sério?): https://en.wikipedia.org/wiki/Johann_Sebastian_Bach

... e por fim, mas não menos importante, se você não conhece os termos "Lautenwerke" ou "Lute-Harpsichord" e/ou se você acha que a música de alaúde de J. S. Bach é mesmo pra alaúde ... melhor dar uma lida nesse outro post antes: http://thetaooftheguitar.blogspot.com/2010/02/lute-harpsichord.html


Bom ... preparado o caminho e esclarecidos todos os "se's" e "porém's", vamos às nossas versões da Suite Bwv 996 de J. S. Bach a serem comparadas. Resolvi começar com uma ótima versão ao alaúde da italiana Evangelina Mascardi. Importante prestar atenção à resolução das vozes, diferenças na textura das polifonias apresentadas e no fraseado mais característico dos músicos com prática de instrumentos de época:



No próximo exemplo teremos o famoso violonista David Russell interpretando a mesma obra. Observe a diferença de sonoridade do violão em relação ao alaúde, as diferenças de timbre, articulação, possibilidades de ornamentação, e mais  voltado para as escolhas interpretativas; perceba as diferentes escolhas dos andamentos, pontos de impulso, fraseados e concepções estéticas:




Agora vamos para nosso terceiro exemplo. Sugiro e recomendo muito fortemente as geniais interpretações do grande cravista Gustav Leonhardt (já deu pra ver que sou fã ne?) ... mas um outro ponto importante sobre este terceiro exemplo ... não estou passando aqui um vídeo do youtube, mas sim, um link para um áudio ... o álbum completo em uma plataforma de streaming de música. Outro ponto importante em nossa formação como ouvintes de música: tenha em mente que o que você vê altera a forma como você ouve. Sendo assim é fundamental que você tenha experiências diversificadas como ouvinte e que priorize ouvir mais do ver. Sugiro com muita veemência aos meus alunos que busquem ouvir mais álbuns e ver menos vídeos ... mas isso é uma discussão pra outro post. Na interpretação do mestre Leonhardt observe bem as diferenças na ornamentação, escolhas de andamento, pontos de impulso, reiterações de ritmos característicos de cada dança e também como as diferentes características do instrumento (Cravo/Harpsichord) são definitivos em certas escolhas interpretativas.

https://music.youtube.com/playlist?list=OLAK5uy_n-X5-wDFBFVhUAHKOPj5YlHgJ2aKFCeGg&feature=share

para os que não utilizam streaming de música vou deixar o link de uma playlist do álbum de Leonhardt de 1985:



Por hoje é só pessoal. 
Boa viagem, grande abraço musical e bons estudos.

:)
[]


JPP



quarta-feira, 14 de julho de 2021

Mario Castellnuovo-Tedesco no cinema!

 Olá ... essa é uma postagem sobre um filme imperdível para violonistas. Prepare a pipoca.

:)




Recentemente eu estava navegando despretensiosamente em uma plataforma de streaming de filmes e acabei esbarrando em um incrível filme feito em 2018: o Maestro. Trata-se de uma  tentativa de retratar a vivência do compositor italiano Mario Casltenuovo-Tedesco na Hollywood da primeira metade do século XX. Na ótima trilha sonora do filme tem muitos momentos violonísticos: trechos do concerto em ré maior opus 99, das guitarras bem temperadas opus 199 ou do quinteto opus 143.

Vou deixar aqui uns links com a sinopse e uma página de um streaming:

https://www.looke.com.br/filmes/o-maestro

https://www.amazon.com/Maestro-Xander-Berkeley/dp/B07N8J6T79

Uma pena que o filme esteja centrado na vivencia de Tedesco com o universo das trilhas sonoras e o período de sua vida em que ele  viveu nos E.U.A. ... ficaram de lado por exemplo seu contato com Segóvia, com Heitor Villa-Lobos ou com o duo Presti-Lagoya. Mas de qualquer maneira foi incrível ver no cinema a dramatização de uma pequena parte da vida de um de meus compositores preferidos para violão. Uma pena também não estar disponível facilmente na internet a informação de quem são os músicos executantes na trilha sonora, especificações sobre as gravações utilizadas, etc.  Mas, enfim, se você é um aficcionado por violão clássico, por música e por filmes esse filme é definitivamente pra você.



E se você nunca ouviu falar em Tedesco (sério?!!?) vou deixar um link biográfico aqui:

https://en.wikipedia.org/wiki/Mario_Castelnuovo-Tedesco

Mais sobre o filme:

https://en.wikipedia.org/wiki/The_Maestro_(2018_film)

e o trailer:


Para finalizar o post vou deixar aqui minha humilde interpretação do 2º movimento da Sonata opus 77 - Andantino, quasi canzone.





É isso ... 
Grande abraço e bons estudos.
[]
:)

JPP

 



domingo, 21 de março de 2021

Marcin Dylla, Anton Diabelli e a obra nas mãos do intérprete.

 Olá ... 

Em 2013 eu fiz uma postagem aqui no blog com um vídeo do canal da Florida Guitar Foundation ... uma performance do violonista Marcin Dylla tocando a Sonata em Fá maior de Anton Diabelli:

http://thetaooftheguitar.blogspot.com/2013/09/marcin-dylla-toca-diabelli-1781-1858.html

Agora em 2021 o canal Siccas Guitars repostou no YouTube um vídeo com uma outra performance da mesma obra com o mesmo intérprete. É interessante observar que apesar de ter sido repostado em 2021 o segundo vídeo (esse do Siccas) é provavelmente da mesma época que o primeiro. Isso nos faz refletir sobre alguns aspectos importantes: 1) como é única cada performance, 2) como é importante compararmos interpretações ... as vezes do mesmo artista, 3) como é importante apresentarmos a mesma obra diversas vezes para amadurecer essa música em nossas mãos e principalmente em nossa memória musical e finalmente 4) o trabalho nunca termina. Antes de assistir aos dois vídeos é legal aprender um pouco sobre de Anton Diabelli. Vou deixar aqui o link para a biografia do compositor no Wikipedia:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Anton_Diabelli

e agora vamos aos dois vídeos. Primeiro o de 2013 postado pela Florida Guitar Foundation:



e agora o mais recente, postado pelo canal Siccas Guitars:



é isso aí.



Grande abraço e bons estudos.

JPP
[]





terça-feira, 2 de fevereiro de 2021

Matteo Carcassi (1792 - 1853) Opus 60 nº1

 Olha aí uma peça legal pra dar bom dia ao violão: Carcassi opus 60 nº1. Escalas, arpejos, pestanas, mudanças de posição, frases com pergunta/resposta, modulações e ... eu já disse que tem escalas né? Tem escalas, muitas escalas

 :D

Falando sério, é uma peça muito legal pra acordar os dedos e a mente antes daquela boa seção de estudo matinal. Pra quem já conhecia fica a lembrança ... e pra quem ainda não conhece fica a dica: o opus 60 de Matteo Carcassi é uma obra com um incrível valor pedagógico e ótimas situações musicais para trabalharmos os fundamentos de nossa técnica dentro da linguagem clássica.

Bons estudos.

:)

[]

 


 

 

terça-feira, 26 de janeiro de 2021

Um site muito muito muito legal. :)

 Olá ... de volta às postagens no blog ... brincando brincando estamos na ativa aqui desde 2005 ... rumo aos 20 anos de blog!

:)

Bom, pra começar bem 2021 vou deixar aqui uma dica de um site com muito conteúdo legal pra nós violonistas. O que acontece é que somos generalistas no que tange a estilo, época, período. E uma parte importantíssima do nosso repertório está no que se denomina "música antiga". Portanto, não basta ler aquela partitura com uma ótima transcrição para violão de Bach, Scarlatti ou Dowland. Mais do que a partitura precisamos de informação bibliográfica segura para poder conseguir embasamento histórico. 

"Como vou ornamentar? Como são as frases? Como era essa prática na época? etc ..."

Ouvir gravações é essencial ... temos muito a aprender ouvindo muitos intérpretes com visões distintas. Mas as informações bibliográficas são muito importantes também.

É aqui que esse site ajuda bastante:

https://www.earlymusicsources.com/home

 

O objetivo, segundo os criadores do site, é facilitar o acesso às fontes disponíveis de conhecimento sobre música antiga. Simplesmente genial! Sou fã ... meus sinceros agradecimentos e parabéns aos criadores. Vida longa ao EarlyMusicSources.

Um bônus: a grande maioria dos vídeos apresenta legenda em várias línguas, inclusive espanhol e português.

Grande abraço e bons estudos.

:)

[]




quarta-feira, 23 de dezembro de 2020

Fernando Sor (1778-1839) opus 44: apenas um complemento?

O corpo didático da obra de Sor é composto por seu método e pelos vários estudos, lições e exercícios que o autor publicou e que hoje conhecemos como as obras com os seguintes números de opus:
opus 06
opus 29
opus 31
opus 35
opus 44 e
opus 60

Em uma postagem recente falei um pouco sobre o opus 60. 

Pois bem, em seus comentários na edição da Tecla dos Estudos Completos de Sor, o pesquisador Brian Jefrey define que o opus 44 seria uma espécie de complemento ao opus 60, como um anexo ou adendo. De fato, faz sentido. Mas é possível também que o ilustre compositor espanhol estivesse presenteando os estudantes com pequeninas suítes instrumentais ou sequencias de peças para serem apresentadas no palco e contribuir para seu amadurecimento artístico. Isso porque no opus 44 as peças estão agrupadas por tonalidade formando sequencias. Fica a dica para reflexão.

Grande abraço e bons estudos.
JPP

:)
[]